18.6.09

Depois de Veneza Luiz Braga prepara-se para abrir exposição na Galeria Leme em São Paulo

Sim, ele foi um dos dois artistas selecionados para representar o Brasil na 53ª Bienal de Veneza, que abriu no ultimo dia 7 e poderá ser visitada até novembro. Mas agora Luiz Braga prepara-se para uma nova e inédita exposição no Brasil.

No próximo dia 24 ele abre uma individual, e será a sua primeira vez, na Galeria Leme, em São Paulo. Mas não espere algo que já conhece deste fotógrafo que tem a luz e as cores vibrantes como marcas de sua obra. Nesta mostra há algo de novo.

As 17 fotografias, que estarão na cidade de São Paulo na próxima semana, trazem imagens que avançam noite adentro e se tornam bem diferentes das que caracterizaram toda a sua trajetória. Desta vez, ao invés das cores vibrantes e magnéticas, ele opta pelo tom crepuscular, mesclando luz natural e artificial.

É um contraponto, sem dúvida. O trabalho que será apresentado na Galeria Leme faz parte de uma seleção de imagens noturnas, e revelam um novo momento em sua obra. Na etapa atual, o instantâneo do final do dia é banido para dar lugar a tempos mais generosos de captação, em busca das luzes que estariam ocultas aos olhos mais apressados.

Surge então uma série de imagens noturnas povoadas pelo brilho de estrelas, folhagens inquietas, luas estridentes e barcas distantes, todas elas abrigadas pelo negro-azul inequívoco das noites equatoriais.

“É a primeira vez que mostro o novo trabalho no Brasil. Minha expectativa, portanto, é de uma estréia”, diz Luiz Braga. A nova produção surge, segundo ele, de sua habitual inquietude, mas também surge de uma reflexão crítica.

“No trabalho atual, assim como nos outros, o que eu busquei foi expandir a luz da minha fotografia. No entanto, há que se registrar que a violência de Belém e a insegurança para realizar meu trabalho com a paz necessária, acabaram me empurrando para lugares no interior onde ainda existe tranqüilidade”, comenta.

Este recurso, da longa exposição, permitiu a Luiz Braga não só o aprofundamento na busca de novas formas de fotografar - uma constante em sua trajetória - como manteve a experimentação do uso e dos efeitos da luz sobre o mundo visível. Traduzidas no olhar ampliado, são imagens que se livram da restrição territorial que caracterizou de alguma maneira, a linguagem do artista até então.

Luiz Braga não aborda apenas a geografia, as referências culturais, as tradições populares e os habitantes do Norte do Brasil, mas transmite uma marcante carga afetiva, imbuída de valores humanos e livre de exotismo e de estereótipos, justamente pela originalidade e domínio com que capta o confronto entre a luz natural e a luz artificial, povoando o território do olhar - um lugar intransferível - de lembranças, cores e cheiros.

Serviço
Exposição Luiz Braga . Na Galeria Leme em São Paulo, a partir do dia 24 Junho , 19h. Fica aberta até 08 Agosto. Rua Agostinho Cantu, 88 - São Paulo | Brasil | 05501.010. Seg - Sex das 10h às 19h. Sab das 10h às 17h. Informações: + 55 11 3814 8184. info@galerialeme.com
www.galerialeme.com

2 comentários:

Tatiana Ferreira disse...

Adorei teu blog, Lu. Ótimas dicas, como sempre! Vou passar de vez em quando por aqui.
Beijos

Luciana Medeiros disse...

Oi Tati, que bom te encontrar por aqui! Estou preparando ótimas noticias pra semana que vem. Venha sempre!!!!

bjos