18.5.09

Novo CD de Delcley Machado aguarda lançamento

O CD está pronto, mas ainda não foi lançado no mercado. Delcley aguarda fechar algumas parcerias para fazer sim, um super lançamento em Belém. Duas das novas músicas, porém, poderão ser ouvidas no site Guiart (www.guiart.com.br), que em breve entrará no ar. Aviso aqui quando der pra acessar.

Aos que ficaram curisos, adianto aqui. Em "Temporal", Delcley Machado reúne composições de Kzan Gama, Walter Freitas, Jacinto Kawage, Mauro Prado e Moacir Rato. Gravado nos estúdios "Ná Music", de janeiro a março de 2009, traz cinco músicas autorais, “Temporal”, “Izaura”, “Vento e Vela”, “Das Ruas” (parceria com Jorge Andrade), e “A Voz Guardada” (parceria com Marcos Campelo). As outras cinco são “Dama de Paus”, de Kzan Gama (já gravada anteriormente em Paris, na década de 80), “Pixaim”, de Walter Freitas (releitura da versão gravada em 1987, no álbum “Tuyabae Cuaã), “Piano Blues”, de Jacinto Kahwage, “Colhendo na horta dos Hortas”, de Mauro Prado e “Ilha das Onças”, de Moacir “Rato”.

Além de gravar grandes compositores paraenses, Delcley ainda contou com a participação de grandes músicos no estúdio. “É muito bom se sentir confortável. A música também pode oferecer conforto e foi o que eu senti ao fazer esse trabalho na companhia desses grandes e brilhantes músicos, como “Adelbert Carneiro (Baixo), Edvaldo Cavalcante (Bateria), Marcio Jardim (Percução), Edgar Matos (piano), Jacinto Kahwage (piano), Toninho Abenatar (Sax tenor, soprano e faluta), Príamo Brandão (Baixo acústico), Fabrício Figueira (flugeohorn e trompete) e Mauro Prado (Violão Nylon)”, diz o músico.

Apesar da natureza instrumental, o CD Temporal traz duas músicas com participação de intérpretes. Afinal a voz também é um belo instrumento, senão o que dizer do uso que faz dela, Walter Freitas em seu trabalho autoral... Mário Moraes canta em “A voz guardada”. Segundo Delcley, sua voz lírica-popular, alcançando os dois extremos dessa combinação, foi determinante para que ele o convidasse para gravá-la. Para “Das Ruas”, o músico diz que demorou a escolher o interprete. A dúvida teve fim no reencontro com Olivar Barreto, que estava de volta a Belém, recém chegado de Paris.

Trajetória - Delcley Machado é um artista inquieto, que faz parte de uma nova geração de talentos da música paraense, com trajetória iniciada na década de 80. Naquela época, embora os movimentos da música estivessem inflamados em Belém, poucos músicos conseguiram a proeza de gravar um disco, por isso, em vinte anos de carreira, este é apenas o seu segundo trabalho autoral gravado.

O músico já se integrou a diversos trabalhos, passando pelo rock e pela MPB, mas faz questão de dizer que é no jazz que ele se ancora. E nestes anos de trajetória, “nesse universo infinito que é a música”, acredita que abriu muitos caminhos e aprendeu atalhos. Relata que sempre quis o melhor em sua carreira e por isso soube aproveitar a oportunidade de trabalhar com vários artistas diferentes e aprender com eles. “Quando se é apaixonado por alguma coisa, enquanto acordado, você pensa o dia inteiro naquilo e quando dorme sonha com a mesma coisa. Este CD é a resposta dessa evolução e de todos esses caminhos percorridos”.

Como músico, diz que gravar e lançar um novo CD, é como ter um filho, ganhar um presente divino como a imortalidade. “Não quero fazer só um lançamento, mas poder mostrar o meu trabalho de uma forma contínua. Este ano deve ser de renovação, de novas composições para um terceiro CD e quem sabe a gravação de um DVD”, encerra a entrevista.

Um comentário:

zoraidegraca disse...

gostava imenso de saber uma forma de contactar o saxofonista Toninho Abenatar....se alguém por aí souber que me mande um e-mail. O endereço é: zoraidegraca@hotmail.com