9.5.17

Cláudio Castro revela signos espalhados no mundo

Iluminador e fotógrafo, profissional do meio artístico ligado ao cinema, Cláudio Castro surpreende ao abrir, esta semana, sua primeira exposição de arte, intitulada "Signos pelo Mundo". O artista morou anos em São Paulo e, mais recentemente, passou uma temporada na Europa, onde experimentou novas técnicas artísticas, tanto na gastronomia quanto nas plásticas. O vernissage é nesta quinta-feira, dia 11 de maio, às 19h, na Casa do Fauno.

São 23 trabalhos desenvolvidos durante período dois anos e oito meses em que passou em Dublin, na Irlanda. Utilizando um conjunto de materiais como papel como suporte, linha de costura e tinta nanquim, ele retrata signos do cotidiano influenciado pela atmosfera dos lugares por onde passou e experiências que viveu. 

Cláudio iniciou seu processo de criação em 1998 passando por projetos como da galeria Theodoro Braga (Novos Talentos), resultando em exposição e teve a oportunidade, na Fundação Curro Velho, de passar pelo aprendizado de várias técnicas, permitindo que ele desenvolvesse seu trabalho. A presente exposição tem curadoria do artista plástico P.P. Condurú.

“O P.P. é um amigo de longa data e que sempre tive admiração sobre seu trabalho marginal. Ele sempre me incentivou a produzir arte sem estar preso aos moldes da arte formal de galeria. Isso me ajudou a fazer a escolha dos trabalhos para exposição, por isso digo que a curadoria é dele, que por motivos óbvios e marginais, prefere não ser chamado de curador (risos). É uma pessoa com que troco ideia sobre o desenvolvimento do meu trabalho”, diz.

Cláudio diz que nas artes plásticas não tem influência de um artista ou escolas específicas, acredita que cria com originalidade seu trabalho. 

“Sempre gostei de artes visuais. E em São Paulo, onde morei antes de ir, com toda a coragem, para a Irlanda, tive oportunidade de absorver novos signos que me levaram a experimentar materiais como a linha colorida e o nanquim sobre papel. Em Dublin, também trabalhei com cinema, como Gaffer, e nas artes plásticas segui criando trabalhos, com linha e nanquim, utilizando papel como suporte”, conta.

De volta a Belém há mais de dois meses, Cláudio Castro vem buscando novas parcerias na área audiovisual. Na semana passada rodou um curta de ficção totalmente independente com ajuda e parceria dos amigos cineastas. 

Após a exposição na Casa do Fauno, Cláudio pretende circular com o trabalho em outros espaços. “Pensando sempre em levar meu trabalho para espaços que provoque no espectador, um olhar reflexivo sob a influência dos signos que estão no cotidiano de nossas vidas e como ser humano que somos influenciando nossas escolhas e nossos pensamentos”, conclui.

Serviço
Vernissage da exposição  "Signos pelo Mundo", de Cláudio Castro. Nesta quinta-feira, dia 11 de maio, às 19h, na Casa do Fauno. Rua Aristides Lobo, 1061, entre Benjamin e Rui Barbosa. Entrada franca. Mais informações e reservas de mesa pelo fone 91 98705.0609. Nesta mesma noite, a partir das 22h, o espaço também recebe show da cantora Natália Matos, que está lançando nas redes sociais o novo single "SOL".

Nenhum comentário: