21.4.21

Espetáculo reúne artes cênicas e cultura alimentar

Acrobacia aérea, dança, teatro e audiovisual para falar sobre corpo, espiritualidade e cultura alimentar. O espetáculo Sus-T-Ância, resultado do projeto “O corpo sem órgãos tem fome de sentidos”, aprovado pelo Edital Arte Livre da Secretaria Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult Ceará), com apoio da lei Aldir Blanc, é realizado pelo coletivo de combate à transfobia e demais preconceitos, Transpassando, do Ceará. A estreia é nesta quinta-feira, 22, às 18h, com transmissão pelo canal de YouTube

O espetáculo Sus-T-Ância atravessa questões históricas, culturais, políticas, gastronômicas e espirituais, que permanecem intimamente ligadas a ancestralidade dos povos originários e diaspóricos do território cearense e às referências de culturas orientais sobre alimentação e espiritualidade. 

Feito por pessoas trans, negras e/ou periféricas, o experimento apresenta um misto de poética e política através de linguagens artísticas como acrobacia aérea, dança, teatro, gastronomia e audiovisual, e também integra metodologias audiovisuais para a promoção da acessibilidade em vários âmbitos, uma das lutas movidas pelo coletivo Transpassando. Assim, o espetáculo estreia, em versão online, pelo YouTube e em versão única, com um layout que integra legenda, Libras e Audiodescrição à própria apresentação estética do espetáculo. 

Na equipe, além dos artistas cearenses, estão três paraenses radicados em Fortaleza, a fotógrafa Viviane Siade, que assina o ensaio fotográfico,  Dani Olivatto, ficou com a preparação de corpo e também atua em cena; e nas acrobacias, o artista Luam Alex W., que também é autor do projeto de arte pesquisa que dá origem ao espetáculo.

“Eu entendo que a acrobacia aérea é uma ferramenta através da qual posso chamar a atenção para temas relevantes e a questão da cultura alimentar tem uma importância assim estrutural na sociedade, porque a forma como a gente se organiza, tem a ver com o que a gente come, e isso se agrava atualmente no Brasil", diz Luam. 

"Há um retrocesso sócio econômico que nos leva de volta ao mapa da fome mundial. Existem muitas palestras, documentários e livros sobre o assunto, daí, como arte-educador, vem a vontade de, através da arte, passar também essa mensagem e voltar as atenções para esse tema”, explica.

E fazer acrobacia aérea, dança, teatro e demais artes cênicas, requer preparo físico e um corpo bem nutrido para explorar o seu potencial adequadamente.  "Essa nutrição tem a ver com alimento em amplos sentidos, o que é um dos motes do espetáculo, explorar nossos sentidos", continua Luam.

O coletivo se baseou nos conhecimentos da medicina chinesa, que classifica os alimentos em cinco sabores, e os associa com as cinco emoções humanas básicas.  “Não é só o que a gente come mas como a gente come. Na pesquisa preparatória, encontramos estudos que associam distúrbios psicológicos à alimentação e o principal é a própria depressão que é uma doença que afeta boa parte da população LGBT da qual fazemos parte”, conclui Luam.

Produzido pelo Projeto de Gestão Administrativa e Produção Cultural do programa de extensão Transpassando Uece - Universidade Estadual do Ceará, com apoio do Coletivo Kintal de Afetos; o espetáculo estreia nesta quinta-feira, 22 de abril, em alusão ao Dia da Terra e à programação do Abril Indígena, mês de visibilidade do movimento dos povos originários em defesa da demarcação das terras e valorização das culturas indígenas. 

Ficha Técnica

Produção Executiva: Projeto de Produção Cultural - Transpassando UECE.

Roteiro: Equipe de Arte-pesquisa.

Textos originais: Gabriel de Oliveira Bastos  e Paulo W. Lima.

Artistas em Cena: Dani Olivatto (Dani), Gabriel de Oliveira Bastos (Gaê), Lipe da Silva (Lipe), Luam Alex W. (Luam), Lukresya Nascimento (Lukresya) e Paulo W. Lima (Paulo).

Preparação de corpo: Dani Olivatto

Ensaio fotográfico: Viviane Siade

Acrobacia aérea: Luam Alex W.

Orientação técnica: Livia Soares

Iluminação: Gregório Souza

Maquiagem: Lukresya Nascimento

Figurino: Dona Lêda, Dona Lenir e Gleicilene Lopes

Filmagem e Edição: Sadry Lima Gomes

Finalização: Paulo W Lima

Sonoplastia: Paulo W Lima e Sadry Lima Gomes

Vozes em Off: Gabriel de Oliveira Bastos e Lipe da Silva

Trilha sonora:

Evolução de Bateria - Maracatu Estrela Brilhante do Recife

(Mother Earth's) Plantasia - Mort Garson (1976) Full Album

Creepy Circus & Carnival Music - Night at the Carnival 

Lia de Itamaracá - Quem Me Deu foi Lia 

Entrevistades durante o processo criativo: Ana Paula Braga, Ivânia Maria Cavalcante Alencar, Manoel Inácio do Nascimento, Lucy Rivka, Sandra Petit, Ziane Maju.

Acessibilidade:

Coordenação e edição: Paulo W Lima.

Legendagem: Carolina Nunes (Kol) e Paulo W Lima.

Tradução em LIBRAS: Isabel Costa e Wiliana Almeida.

Audiodescrição: Paulo W Lima e Coletivo Kintal de Afetos.

Mais informações: transpassando@uece.br / Instagram: @transpassando

Nenhum comentário: